Monthly Archives: Novembro 2015

Gato miando? Veja 10 razões pelas quais os gatos miam


Quem tem gato já deve alguma vez ter se perguntado: o que raios esse peludo quer dizer quando mia? Os gatos podem produzir mais de 30 sons diferentes, incluindo 19 variações de um simples MIAU. Não é a toa que decifrar miados não é uma tarefa fácil!

É difícil saber ao certo o que cada som pode significar, até porque, cada gato tem seu jeitinhoespecial de vocalizar, mas podemos conhecer algumas das principais razões desse blá blá blá e aos poucos entender o que nosso gatinho quer dizer. Confira essas 10 razões do gato miar:

Miado de fome – “Libera o rango aí”

Esse miado de fome é o mais conhecido dos tutores de gato e o mais fácil de identificar. Até porque eles vão miar até conseguirem o que querem. O gato da minha amiga, não contente em apenas miar, também espeta as unhas na coxa dela para chamar atenção. Se a comida vier, ele pede desculpas dando cabeçadinhas de amor…

Miado de atenção – “Olha como sou fofo”

Às vezes os gatos miam apenas para chamar atenção, porque eles sabem que ao miar vão ganhar carinhos e brincadeiras.

Miado para entrar – “Toc toc!”

Seu gato mia para a porta? Pois então ele provavelmente quer que você a abra para ele poder circular pela casa sem barreiras.

Miado de dor – “Doi tuuudo, humano…”

Se o seu gato começar a miar subitamente e como se não houvesse amanhã, leve-o para oveterinário para fazer um check-up. O miado excessivo indica que algo está errado, ainda mais se o comportamento é atípico.

Miado de boa convivência – “E ai, parça?”

Seu gato mia quando você chega à sua casa ou quando vocês se encontram no corredor? É como se ele estivesse apenas te dando um alô.

Miado de medo – “Me tira dessa”

Gatos que estão estressados podem miar bem mais. Por exemplo, o meu gato mia excessivamente quando eu o levo para o veterinário. É como se fosse um lamento incessante…

Miado de alerta – “Nem chegue perto!”

Gatos agitados e bravos miam como se estivessem gritando, avisando que quem quer que entre no território terá que arcar com as consequências.

Miado de ansiedade – “Não me deixe!”

Quando gatos são deixados por um longo período sozinhos e sofrem algum tipo de trauma, como um barulho alto, eles ficam ansiosos e ao saberem que serão deixados sozinhos miam excessivamente.

Miado de velhinho – “A idade está pesando, humano”

Os gatos podem apresentar diminuição nas funções cognitivas (memória e percepção), entre outras coisas, e miar excessivamente para se situarem no espaço.

Miado de gata – “Estou no cio”

Sua gata está miando alto e constantemente? Quando as gatas entram no cio o miado muda totalmente para que os machos saibam a sua disponibilidade.

Como o bom dono de gato sabe, às vezes os gatos miam por razões desconhecidas. Quem nunca falou sozinho que atire a primeira pedra… Mas prestar atenção nas circunstâncias e ao som do miado do seu gato é divertido e ajuda você a entender o seu peludinho e melhorar o relacionamento.

Gostou do post? Então compartilhe com os seus amigos e ajude-os a entender o que o gato miando sem parar quer.

Fonte: http://dicas.petlove.com.br/

Categories: Gatos | Deixe um comentário

Gatos vencem preconceitos e mostram sua capacidade de salvar vidas

gato-surpreso-admirado-petrede“Gatos não são confiáveis.” “Gatos não gostam do dono, só se apegam à casa.” “Cruzar com gato preto dá azar.” “Cães e gatos não podem conviver.” Não são poucos nem novos os mitos — um tanto negativos — que cercam os felinos.

Parte deles pode ser explicado pela história ou pela domesticação relativamente recente; outros, pelo temperamento dos bichanos. Dizer que o estigma está perto de acabar é um exagero, já que, ainda hoje, a cada sexta-feira 13, diversos gatos aparecem agredidos nos pontos de atendimento, segundo testemunha Christine Souza Martins, médica veterinária e professora da Universidade de Brasília. Apesar disso, é possível notar um fio puxado neste imenso novelo de maledicências: as pessoas estão se rendendo ao doce encanto dos bichanos.

O espírito livre deles, antes apontado como excesso, agora é característica ideal para quem tem pouco espaço e menos ainda tempo livre para se dedicar a cuidados com animais de estimação. “O gato é mais fácil de cuidar, fica mais tempo sozinho, não destrói a casa. É o animal ideal para quem tem menos tempo e, no período em que você está com ele, traz a mesma satisfação que qualquer outro pet”, explica Christine. Quanto ao espaço, se adaptam bem a apartamentos e também não fazem questão de passeios.

gato-andando-cerca-petrede

Esses são motivos apontados para o crescimento da escolha por gatos. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), a população atual de gatos no Brasil é de, aproximadamente, 21,3 milhões, segundo dados de 2012. Em relação ao ano anterior, houve um crescimento de 8,19% no número de gatos domiciliados. Apesar de ainda serem mais numerosos, o aumento gradual de cães se mostrou menor, o que revela uma mudança positiva na relação entre humanos e gatos. José Edson Galvão de França, presidente-executivo da Abinpet, acrescenta que, de acordo com as previsões do órgão, em cerca de 10 anos a população felina deve se igualar à canina.

O aumento do apreço por gatos não se restringe ao Brasil. “Nos EUA, existem 5 milhões de gatos a mais do que cachorros, entre animais domiciliados, sem contar os que vivem nas ruas. É uma tendência mundial. Na Europa, também já existem mais gatos do que cachorros. Só não transparece muito porque os gatos vivem dentro de casa”, acrescenta a veterinária Christine.

Esse movimento de urbanização e a verticalização das cidades permite que as pessoas conheçam melhor os gatos. Ou seja, não foram os gatos que se tornaram mais dóceis e companheiros, foram os humanos que, pouco a pouco, perceberam que os bichanos são, sim, animais que amam seus donos. Recente pesquisa da Universidade de Tóquio, no Japão, citada por José Edson Galvão, expôs gatos a voz dos donos e de estranhos. A conclusão? Quando ouviam a voz dos donos, eles mexiam as orelhas em direção ao som e suas pupilas se dilatavam, reações positivas, que indicam estímulos emocionais.

Uma grata surpresa
“Sempre tive preconceito, meu primeiro gato foi uma surpresa.” A frase da estudante Camila Martins, 20 anos, ilustra seu pensamento pelos bichanos antes de cair de amores por Chaminho. Acreditava que gatos eram antissociais e pouco confiáveis. Preferia os cães. Há seis anos, num dia chuvoso, percebeu um movimento estranho na rua. Era um filhote de gato, com apenas 1 dia de vida. Tinha uma ferida no pescoço e uma patinha bem machucada. Levou o bichano ao veterinário, pagou a conta e preparou-se para ir embora. Imaginava ter cumprido seu dever.

A clínica, no entanto, disse que não podia ficar com o filhote. “Eu não podia fazer mais nada. Mesmo não sendo fã de gatos, levei para casa”, conta. A partir daí, adequou sua rotina para cuidar dele, o que incluía dar leite na boca, inclusive durante a madrugada. Como foi separado da mãe no nascimento, Camila teve de ensiná-lo a se limpar, simulando lambidas com um algodão úmido em água morna.

O inevitável aconteceu. A rotina de mamãe-gata mudou totalmente a forma de encarar os bichanos: “Hoje, acredito que os gatos são muito mais carinhosos do que os cachorros e mais inteligentes em vários sentidos”. Camila continua apaixonada por cães, mas se tornou capaz de entender a personalidade e a forma de demonstrar amor dos felinos.

gato-se-lambendo-petrede

Nem as crises de asma, controladas por medicamentos, foram suficientes para que ela se afastasse dos bichanos. Hoje, além de Chaminho, tem dois em casa, Gracinha e Curirim, e mais sete que vivem nas imediações do terreno. Cada um com suas peculiaridades, mas todos muitos sensíveis. “Eles ficam tristes e ressentidos quando não são tratados bem e oferecem carinho extra quando percebem que os donos estão precisando”, diz.

Rosângela Ribeiro Gebara, gerente de Programas Veterinários da Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA), explica que isso se deve ao forte vínculo que os felinos criam com seus donos. “Os gatos são espécies menos gregárias que o cão, vivem de maneira mais isolada e independente, geralmente consideram o ser humano como igual, como um parceiro de convívio em meio social”, explica a veterinária.

Para Camila, a pouca adesão de voluntários para cuidar de gatos é preocupante. Aos que têm dúvidas, ela aconselha: “A melhor coisa que eu fiz na vida foi pegar esse gatinho. Antes, eu tinha muito preconceito, mas o gato dá tanto amor quanto o cachorro”.

Fonte: Saúde Plena
Categories: Gatos | Deixe um comentário

Os Olhos dos Gatos

Os gatos detetam movimento melhor que nós, em contrapartida, não conseguem ver de forma tão nítida

Quando pensamos em gatos, uma das primeiras imagens que nos ocorre são aqueles olhinhos lindos que eles têm, que nos deixam totalmente derretidos ao olhar para eles. Os olhos dos gatos são muito especiais. Através deles pode-se descobrir, por exemplo, se o nosso amiguinho está ou não doentinho.

Porque brilham os olhos dos gatos?

Quem já não se deparou com os seus gatos durante a noite e viu que os seus olhos parecem brilhar intensamente? Pois bem, na realidade os olhos dos gatinhos não brilham durante a noite, o que realmente acontece é que os olhos contêm uma camada de células no fundo do olho, chamada Tapetum lucidum (tapete brilhante), que reflete toda a luz recebida, parecendo assim que os olhos brilham. O Tapetum lucidum,também presente em cães e outros animais geralmente com hábitos de caça noturnos,funciona tal como um espelho, refletindo a luz que chega até ele.

Os gatos têm visão noturna?

Os olhos dos gatos estão especialmente adaptados a ver em ambientes de fraca luminosidade

Como já pôde observar, os gatos não necessitam de acender a luz para andar no escuro sem bater contra tudo e todos. Eles têm uma otima capacidade de visão em ambientes de pouca luz, sendo que conseguem ver cerca de sete vezes melhor do que os humanos na escuridão.

Isto deve-se ao facto de as pupilas dos gatinhos dilatarem bastante, de modo a que consigam captar o máximo de luz possível. Os humanos têm o mesmo processo nos seus olhos, contudo a sua capacidade de captação de luz é muito inferior à dos gatos.

Contudo não se engane e pense que os seus gatinhos vêem bem na escuridão total. O que acontece é que eles conseguem captar quantidades mínimas de luz e maximizá-la para obterem o máximo de detalhe possível, contudo se houver muito pouca ou mesmo nenhuma luminosidade disponível, sentem natural dificuldade em observar.

A visão noturna dos nossos gatinhos foi evoluindo devido ao facto dos felinos, na natureza, necessitarem de ver bem durante a noite de modo a caçarem as suas presas, geralmente pequenos mamíferos que são mais ativos durante a noite precisamente para evitarem a maioria dos predadores.

O que eles conseguem captar?

Ao contrário do que acontece à noite, durante o dia os nossos amiguinhos não têm a mesma capacidade de visão, tendo apenas cerca de 10% da nossa visão diurna e não conseguindo focar os objetos com grande detalhe. Apesar de terem grande sensibilidade ao movimento e detectarem qualquer coisa que se mexa melhor do que nós, não conseguem ver nitidamente objetos que lhes estejam próximos.

Explicando de uma forma prática, enquanto os olhos dos gatos estão preparados para detetar o movimento de um rato mesmo que ele esteja num canto do seu campo de visão, assim que o gato o apanhar com as suas patas deixa de ser nítido. No final de contas, é mais importante apanhá-lo do que observá-lo.

Os nossos amigos peludinhos conseguem ter uma visão panorâmica que capta até cerca de 200º (os humanos vêm a cerca de 180º).

Os gatos vêem a cores?

Os olhos dos gatos conseguem ver apenas algumas cores

A resposta a esta pergunta ainda não é definitiva, pois é uma questão que continua em estudo. Alguns estudos efetuados afirmam que os gatos não conseguem distinguir cores, contudo outros estudos mais recentes comprovam que os nossos amigos conseguem distinguir algumas cores (de preferência cores chamativas), desde que estas estejam relativamente perto dos seus olhos.

Os gatos parecem responder a cores como violeta, azul, verde e amarelo, enquanto que o vermelho, o laranja e o castanho parecem estar fora do alcance dos olhos dos gatos.

Consegue ver se o seu filhote está bem através dos olhinhos?

Os olhos dos gatos podem ser um indicador de algum problema de saúde

Os olhos dos gatos conseguem transmitir quando eles estão doentinhos. Na constituição do olho do seu menino está presente a membrana de nictação, esta membrana fecha parcialmente quando ele está doente.

Para saber se o gatinho está doente ou não através dos olhos verifique se ele têm alguns destes sintomas:

  • A membrana de nictação parcialmente fechada;
  • Os olhos a lacrimejar;
  • Observar se têm uma pequena membrana fora do normal. Caso essa membrana exista, tente observar se esta é branca ou mais escura: caso seja mais escura é sinal que o gatinho está com problemas, se a membrana for branca é sinal que o seu gatinho tem febre.

Estes são os principais sintomas que os gatinhos apresentam e que consegue ver através dos olhinhos deles, esteja atento às modificações dos olhos dele e também do seu organismo e comportamento, pois não é apenas através dos olhos que eles mostram se estão ou não doentes.

Os gatos comunicam com os olhos?

Um piscar de olhos prolongado é um sinal de afecto do e para o seu gato

Muitos donos e entusiastas dos pequenos felinos suspeitam que os gatos têm formas de comunicação através do seu olhar. Por exemplo, se piscarmos lentamente os olhos a um gato, é algo provável que ele pisque os seus olhos em resposta. Se o seu gatinho estiver a olhar para si e piscar lentamente os olhos, é um sinal de afecto dele para consigo – retribua o gesto para com o seu menino. Algumas pessoas são também da opinião que piscar os olhos a um gato arisco ajuda a acalmá-lo, transmitir-lhe tranquilidade e carinho.

Este tipo de comunicação, embora não totalmente esclarecida, parece funcionar apenas de gato para humano (e vice-versa) e não de gato para gato.

De forma oposta, olhar fixamente para um gato durante muito tempo faz com que o menino se sinta ameaçado ou no mínimo desconfortável. Isto pode explicar um comportamento curioso dos bichanos: num espaço com várias pessoas, tendem a aproximar-se mais daquelas que menos gostam de gatos, porque as que gostam têm a tendência de olhar fixamente para eles, o que os incomoda, ao contrário das pessoas que não gostam ou não ligam aos gatos e que não estarão interessadas em olhar para eles.

Curiosidades sobre os olhos dos gatos

  • Em relação ao tamanho do corpo, os olhos dos gatos são os maiores entre todos os mamíferos. Em proporção, se tivéssemos os olhos do mesmo tamanho, estes teriam quase 20 centímetros de diâmetro;
  • Um gato branco com um olho azul, poderá ser surdo do ouvido que ficar do lado desse olho. Se ambos os olhos forem azuis, o gato poderá ser surdo dos dois ouvidos, mas é errado pensar-se que todos os gatos brancos de olhos azuis sofrem de surdez;
  • Todos os gatos nascem com os olhos azuis. Por volta da quinta ou sexta semana de vida a cor muda, podendo também ficar sempre azuis.

Fonte http://www.mundodosanimais.pt/gatos/olhos-dos-gatos/

Categories: Gatos | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.