Escovando os dentes dos gatos

Posted: 29 Dec 2012 09:02 AM PST

479745_173507732795085_782807040_n.jpg
Esse ano precisei levar 2 dos meus gatos para fazer limpeza nos dentes, pois eles estavam com periodontite, causada por excesso de tártaro. Eu nunca tive o hábito de escovar os dentes deles.

A Sarah, uma gata siamesa que adotei quando tinha 1 ano, estava com um mau hálito fortíssimo. Ela sempre gostou de nos lamber como forma de retribuir o carinho recebido e o chegou a um ponto que não dava mais para aguentar o cheiro que exalava enquanto ela nos lambia, pois subia um cheiro semelhante ao de esgoto. Na verdade fazia bastante tempo que ela vinha com mau hálito, só que todas as vezes que eu levava ela no veterinário eu comentava com ele, mas o vet não dava bola. Ele ainda fazia uma cara como quem dizia ‘não vai querer que gato tenha bom hálito, né?’.Quando chegou no ponto que a gente não aguentava mais ela nos lambendo, levei ela em outra veterinária. Resultado: Periodontite em estágio avançado! Ela precisou primeiro fazer um tratamento com antibiótico para depois de 5 dias poder realizar a limpeza nos dentes.
Fica a dica: a qualquer desconfiança do veterinário – troque!! Eu achava estranho ele nunca se preocupar ou investigar porque ela tinha aquele hálito terrível, mas confiava nele. Conheci ele por indicação. Ele sequer olhava os dentinhos dela. Quando falei para a outra vet sobre o mau hálito a primeira coisa que ela fez foi abrir a boca da gata para ver os dentes. Somente aí pude ver o estado dos dentes da Sarah. Um dos caninos já estava quase na raiz devido à contração da gengiva, uma consequência da periodontite. Os dentes lá de trás nem podiam mais ser vistos de tanto tártaro em volta.

Hoje sei que existem diversas causas para o mau hálito:
*Dentição: A troca dos dentes começa por volta dos 6 meses de idade, às vezes isso causa mau hálito devido à inflamação da gengiva.
*Gengivites: As gengivas ficam vermelhas e inchadas.
*Alimentação: Alimentos úmidos e macios tendem a formar mais placa bacteriana, enquanto a ração seca não. Algumas rações possuem um odor muito forte, o que ocasiona o mau hálito. A mudança da dieta geralmente funciona nesses casos.
*Abcessos: O único sintoma pode ser o mau hálito. O veterinário precisa drenar o abcesso e remover o dente. Se isso não for feito a infecção passa para as cavidades nasais, a face do gato incha e a infecção pode ir para os pulmões.
Ao constatar o mau hálito, o gato deve ser levado ao médico veterinário para que ele identifique a causa da halitóse e indique o melhor tratamento.
gato01-e1329246515408.jpg

A partir daí passei a reparar nos outros gatos. Uma noite peguei o Duque no colo e tentei ver os dentes dele. O Duque é aquele tipo de gato bem dócil, que deixa pegar e fazer o que quiser com ele. Mas quando tentei ver os dentes mexer nos dentes eles esperneou e acabei soltando ele. Depois notei que minha mão estava suja com sangue.

Confesso que ainda não consegui estabelecer o hábito de escovar os dentinhos deles, mas já tenho as escovinhas e as pastas específicas (nunca use pastas de dentes de uso humano). Mas descobri a importância de cuidar dos dentes, pois a Sarah não precisou extrair nenhum dente, nem aquele canino que estava com uma aparência feia, mas o Duque precisou fazer algumas extrações. No início ele custou um pouco a se acostumar com a falta de dentes e acabava engolindo inteira a ração e depois vomitava. Hoje ele já está adaptado e já consegue comer bem. Por isso resolvi fazer esse post para esclarecer e orientar outras pessoas que assim como eu nunca haviam parado para pensar em escovar os dentes dos gatos.

Sem contar que além da saúde e bem estar dos felinos, a escovação de dentes pode garantir também o bem estar do bolso do tutor, pois não sei em outras cidades, mas aqui em Porto Alegre/RS as clínicas cobram quase 500 reais por uma limpeza de dentes em gatos (uma paulada!!!!).

Gatos que não fazem higiene bucal com frequência possuem o risco de contrair doenças que podem ser graves. O dono dificilmente se dá conta do problema. É que a região danificada fica coberta pela gengiva — escondidinha, portanto. Mas a inflamação está lá, firme e forte. E causa muita dor. Tudo por culpa do acúmulo da placa bacteriana que afeta a gengiva, os ossos e os ligamentos que seguram os dentes na boca. Nesse estágio da doença, o gato está fadado a uma perda dentária.
Se a moléstia não for tratada logo, as bactérias podem cair na circulação sangüínea e causar danos no coração, no fígado, nos rins e nas articulações. Por essa razão, antes da Sarah realizar a limpeza nos dentes, a veterinária indicou um antibiótico para já ire matando as bactérias que já poderiam estar na corrente sanguínea. Da mesma forma ocorreu com o Duque. Para evitar que a encrenca chegue a esse ponto, só mesmo escovando os dentes do animal.

gato02-e1329246396394.jpg

A formação de tártaros nos dentes de cães e gatos é uma ocorrência normal. O animal contém em sua boca uma flora bacteriana. Estas bactérias aderem-se aos dentes formando a placa bacteriana que aos poucos mineraliza-se formando as placas de tártaro. Alguns animais apresentam mais ou menos tártaros dependendo de sua idade, dieta e principalmente de sua resposta imunológica.
Este acúmulo gera um ambiente propício para o desenvolvimento exacerbado das bactérias orais. Como o número destas aumenta muito, o número de substâncias tóxicas produzidas por seu metabolismo também cresce na mesma proporção e daí surge as Periodontopatias: Gengivite e Periodontite.
O sinal mais comum da periodontite é o mau hálito.
A fermentação causada pelas bactérias pode juntamente ou não com a presença de pus causar um odor muito forte e desagradável que será logo notado pelo proprietário.

Dentre todas as doenças que afetam cães e gatos, a doença periodontal é a mais comum entre elas: estudos mostram que acomete cerca de 85% de cães e gatos acima dos três anos de idade, sendo responsável pela inflamação da gengiva (gengivite) e destruição de tecidos de sustentação do dente (periodontite), e é causada pela placa bacteriana, presente na cavidade oral dos animais.
A acúmulo de restos de alimento nos dentes acarreta na formação de placa bacteriana. Esta causa periodontite e até perda do dente.
O acúmulo geralmente começa na parte externa dos dentes superiores.
Gengivas com linhas vermelhas, contornando os dentes, é sinal de irritação por placa bacteriana.

Alguns gatos são mais propensos a apresentar a placa, outros nunca necessitam limpar os dentes em intervalos regulares.
A placa bacteriana é o resultado da organização de bactérias presentes na cavidade oral, devido à falta de higienização, e numa boca saudável, se forma num período entre 24 a 48 horas. O acúmulo de placa bacteriana na superfície do dente, e principalmente na região próxima a gengiva, induz a resposta inflamatória no organismo (gengivite), e a sua progressão (periodontite) decorre do agravamento da infecção e do processo inflamatório.
O problema pode piorar quando a placa bacteriana sofre deposição de material mineral e forma o famoso “tártaro” (cálculo dental), que favorece a aderência de mais placa bacteriana.
Quando a doença atinge o periodonto de sustentação (periodontite) pode haver lesões graves no osso ao redor do dente que são irreversíveis, podendo levar à perda do dente. A placa bacteriana presente também é responsável pela halitose (mau hálito), pois libera gases sulfurosos, responsáveis pelo mau cheiro.
O problema não pára por aí; estas bactérias presentes na gengiva liberam subprodutos que irão para a corrente sangüínea, e pelo fenômeno conhecido como bacteremia, agredirá o organismo do paciente, podendo se alojar em órgãos vitais como rins, fígado, articulações, meninges, pulmões e coração.
Infelizmente a doença periodontal não tem cura, mas sim, controle. Isto porque a boca dos animais, assim como as nossas, não são estéreis, pois há sempre bactérias que fazem parte da flora normal da cavidade oral e que não necessariamente trazem prejuízos à saúde. O controle da placa se dá principalmente através da higienização diária (escovação) e profilaxias profissionais regulares.

Dependendo do estágio da doença o animal poderá estar sentindo dor e com isso poderá deixar de se alimentar, brincar, roer seus ossos e ficar quietinho em um canto da casa. As bactérias que se encontram na boca do animal não ficam somente por lá.
Elas caem na corrente sanguínea e são levadas para todos os órgãos do animal.
Algumas bactérias são patogênicas (causadoras de doenças) e causam infecções que podem migrarpara outras partes do organismo causando infecções graves como endocardite e nefrite.
Os órgãos mais afetados são: coração, rins e fígado e também as articulações. Se por acaso o animal já tiver uma lesão prévia em algum destes locais, a probabilidade de uma infecção bactériana é muito grande. Já existem estudos que apontam as bactérias do tártaro como as mais freqüentes aceleradoras da insuficiência renal e cardíaca em cães.
A formação de tártaros pode ser retardada alimentando-se os cães e gatos com rações duras e biscoitos específicos. A escovação dos dentes também ajuda.
Um vez instalados, os tártaros devem ser retirados através da tartarectomia.

Sem+t%C3%ADtulo.jpg

E se não for tratada? É frequente o proprietário ter medo da anestesia e, assim, optar por não realizar a limpeza. O risco de complicações causadas pelo tártaro é muito grande e não só uma questão de "aguentar o bafo de onça". A doença periodontal acomete as estruturas de sustentação do dente. Ela começa com acúmulo de cálculo na superfície dos dentes e gengivite. Evolui para a Periodontite que é o processo inflamatório ao redor do dente que por sua vez irá induzir em perda óssea, fístulas intra-orais e comunicações oro-nasais. Sem sustentação apresentará exposição radicular, mobilidade (movimentação no interior do alvéolo) e posterior queda do dente.

Num futuro próximo a ausência de osso será em toda a extensão da mandíbula e maxila. Predispondo fraturas mandibulares de difícil correção.

Resumidamente, a DOENÇA PERIODONTAL só evolui e precisa de prevenção com as escovações dentais ou profilaxias feitas por especialistas em Odontologia Veterinária.

Outro problema comum é a estomatite, nome genérico para feridas na mucosa da boca. Um dos tipos mais comuns é a afta – sim, os felinos também sofrem disso. A dor impede o pobre gato de comer e, dependendo do grau da inflamação, nem água ele consegue beber.

Começando a escovar os dentes dos felinos
gatos_escovando_dentes-4.jpg

Primeiramente você precisa entender que não se deve utilizar escovas de dente para humanos e nem pasta de dente para humanos, pois eles podem ser tóxicos para os animais. Já existem pastas e escovas desenvolvidas especialmente para felinos.
Existem escovas e pastas de dente próprias para gatos, seu veterinário pode recomendar a marca e o modelo mais apropriados. A escova para humanos além de machucar, não penetra corretamente nas áreas que mais necessitam de limpeza. E as pastas de dente para gatos geralmente possuem um gosto especial que seu gato irá amar.

Escovar os dentes dos gatos, porém, é mais difícil do que nos cães. Mas da mesma maneira que nos cachorros a escovação deve ser habituada aos poucos. Devagar o bichano deve ir se acostumando com a escova de dentes. É legal apresentá-la de forma tranquila, associando o objeto com petiscos e muito, muito carinho.
Fácil não é, porque gatos são mesmo rebeldes por natureza. Mas tem que escovar os dentes. O ideal é fazer o bichano se acostumar com a higiene desde filhote. Se ele já estiver crescido, adote esta técnica, sugerida por Herbert Lima: coloque pasta no seu dedo e esfregue nos dentes do bicho, tomando cuidado para ele não morder. Não se preocupe se ele engolir um pouco do produto. Não lhe fará nenhum mal. Depois de alguns dias, mais acostumado com a novidade, introduza a escova. Se ele for do tipo arisco (e muitos são assim), o jeito é dividir a tarefa com alguém. Enquanto um segura as patas, o outro abre a boca e faz a escovação. Aproveite para observar se a gengiva apresenta vermelhidão e inchaço, além de mau hálito. Um desses sinais já indica problema.
Não vá tentando enfiar a escova dentro da boca de seu amigo: ele precisa primeiro se acostumar a um objeto dentro de sua boca. Para tal, comece brincando de colocar seu dedo dentro da boquinha do gatinho.
Você deve acostumá-lo com o processo e isso leva alguns dias ou até semanas, no caso dos gatos mais teimosos. Se fizer tudo com paciência seu gato vai passar a enxergar a atividade de limpeza oral como uma “brincadeira”. Caso contrário ele vai se assustar e fugir e irá associar a limpeza oral a uma experiência desagradável.
Finja que seu dedo é uma escova de dente e devagarzinho e gentilmente esfregue seu dedo no dente do gatinho, massageando. Não ponha o dedo fundo na boca dele, seja gentil e realmente simule uma escovação de dente utilizando seu dedo. Repita isso por cerca de uma semana até ele se acostumar com esta prática.
Depois passe a fazer a mesma coisa só que agora, colocando um pouco de pasta de dente para gatos em seu dedo assim o filhote vai se acostumando com o gosto da pasta. Faça isso por mais ou menos uma semana.
O passo seguinte é usar uma gaze enrolada no dedo. Repita várias vezes, sempre elogiando, fazendo carinho e oferecendo petiscos. Se o animal não estiver aceitando pare e recomece mais tarde.

O último passo é acostumar seu gatinho com a escova de dente. Coloque a escova de dente gentilmente e devagar em sua boca. Você pode colocar um pouco da pasta de dente na escova já que ele já está acostumado com esse gosto.
Outra maneira é colocar um pouco de caldinho de comida para gato ou caldo de atum enlatado, ele irá gostar do gostinho e vai querer a escova dentro de sua boca. Faça isso por mais uma ou duas semanas.
Se você optar por colocar um caldo de comida na escova tente mudar para a pasta o quanto antes, pois afinal você quer limpar os dentes e não sujá-los com caldo de comida.
Perceba que o processo de acostumar o gatinho leva cerca de um mês: realmente não é o caso de colocar a escova na boca dele da noite para o dia!
Não vá escovando com força, pois você pode machucar seu animal de estimação! Lembre-se, vá ensinando e treinando ele devagar e tenha paciência. No começo ele não irá deixar você escovar todos os dentes.
É fortemente recomendado que pergunte ao seu veterinário para que ele lhe mostre como escovar os dentes do gatinho corretamente.

Quem sabe um dia seu gato passe a adorar escovar os dentes como esse do :

Fontes:
http://www.bichosaudavel.com/mau-halito/

http://www.groomingplace.com.br/blog/2012/03/22/verdade-ou-mito-gatos-tambem-precisam-escovar-os-dentes/

http://www.becodosgatos.com.br/dentes.htm

http://blog.dianaserra.com.br/doenca-periodontal-em-caes-e-gatos-voce-sabe-o-que-e/

http://www.linkanimal.com.br/gatos/saude-de-gatos/escovando-os-dentes-do-gato.html
http://marianalagemarques.blogspot.com.br/2012/08/e-se-eu-nao-tratar-doenca-periodontal.html

http://www.maypet.com.br/blog/veterinaria/qual-a-importancia-da-prevencao-da-tartarectomia

http://saude.abril.com.br/edicoes/0261/bichos/conteudo_88014.shtml

Fonte da matéria: Dicas para gateiros

Categories: Gatos | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: