Monthly Archives: Julho 2012

Animais de estimação: Os gatinhos vem conquistando o seu espaço

Quando se fala em animais de estimação, o primeiro que vem à mente das pessoas, com certeza, é o cachorro. Certo? Mas com os novos padrões de vida, com casas mais reduzidas, espaços adaptáveis e o tempo corrido, outro animalzinho vem tomando o lugar dos cães e entrando para as famílias brasileiras, o gato. Vistos como independentes e adaptáveis a qualquer espaço, as famílias contemporâneas vem se rendendo ao charme desse pequeno bichano.

gato se lambendo petrede Animais de estimação: Os gatinhos vem conquistando o seu espaço

Segundo a médica veterinária Rafaela Pastl, os gatos se diferenciam dos cães, pois vivem normalmente em qualquer espaço físico, seja em casa ou apartamento e o fato de dormiram quase o dia todo, deixa o dono aliviado por, às vezes, não ter tanto tempo dedicado ao animal.

Outro ponto importante entre cães e gatos são os padrões sociais e a interação. De acordo com aespecialista, enquanto os cães vivem em bando e precisam procurar um líder, no caso o humano, os gatos são independentes e não precisam de ninguém para liderá-lo. Mas, de acordo com a Dra. Rafaela, ninguém se engane em relação ao sentimento do bichano.

“Não é verdade que o gato não se apega ao dono. Na verdade o gato adora receber atenção e carinho do dono, mas na hora que ele quiser”, explicou à veterinária. “E nunca brigue com o seu gatinho também, ele pode ficar profundamente sentido e por conseqüência, pode ficar medroso”, aconselhou à especialista.

Para Flávia Emilia, estudante universitária, que sempre criou gato como animal de estimação, o ponto forte desse bichano em relação aos cães é a higiene.

“Enquanto o cachorro que não é ensinado faz as necessidades em qualquer lugar, os gatos só fazem em locais específicos com areia”, disse a estudante. “Além disso, não tinha muito espaço lá em casa para outro tipo de animal, já o gato [que também é o nome de seu bichano] vivia perfeitamente bem por lá”, disse Emília.

Confirmando a afirmação da estudante, a Dra. Rafaela Pastl explicou que essa questão de higiene dos gatos é de instinto, e, dessa forma, ele só faz as necessidade em areia comum ou areia higiênica. “Só animais doentes ou com alguma perturbação fará suas necessidades fora do local propício”. Além disso, o gato, ao lameber-se, realiza sua própria limpeza e, segundo a veterinária, é comum os veterinários recomendarem que os donos não dêem banhos em seus gatos, pois pode deixar o animal estressado.

Mas tem um ‘porém’ que ainda impedem muitas pessoas de criar gatos como animais de estimação. Eles, os gatos, tem o hábito de passear na rua e isso, às vezes, traz muita dor de cabeça para os donos, como gatas prenhas, doenças, etc.

“Animal que já está acostumado em ir à rua dificilmente deixará esse costume, então a castração é o mais indicado, assim como a vacinação e vermifugação”, explicou a especialista.

Quanto ao mito sobre a toxoplasmose, doença transmitida por gatos para mulheres grávidas, a especialista tentou desmistificar o contágio. Segundo ela, a doença só é transmitida por animais não vermifugados. “Mas a maior incidência de contaminação é a ingestão de carne crua ou mal cozida”, finalizou.

Sobre o Gato
De acordo com a especialista, os gatos são amáveis caçadores naturais e limpos. Podem viver de 15 a 39 anos, tem excelente visão noturna, olfato e audição.

Dicas básicas de alimentação
“A alimentação mais indicada é a seca, ração, mais as alimentações úmidas como latinhas e saches, são uma boa opção principalmente por conterem 80% de água e assim evitando problemas geniturinários, como urolitíases”, finalizou.

Você que gosta ou não de gatos, cria ou tem vontade de criar um gatinho como animal de estimação, use os comentários e opine!

*Com consultoria da médica veterinária Rafaela Pastl, que atende nas clínicas Focinho & Cia, na Ponta Grossa e no Santo Eduardo – Maceió-AL: (82) 3221-6998 e (82) 3337.1760.

Fonte: Primeira Edição

http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede/animais-de-estimacao-os-gatinhos-vem-conquistando-o-seu-espaco/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+petrede+%28PetRede%29#.UA7AcWGe5Bo

Categories: Gatos | Deixe um comentário

GATA AJUDA CRIANÇA MUDA A FALAR

GATA AJUDA CRIANÇA MUDA A FALAR

Diagnosticado com um tipo de ansiedade que o impede de expressar suas emoções, o inglês Lorcan disse ‘eu te amo’ pela primeira vez a gata Jessi.

O garoto Lorcan Dillon, 7 anos, sofre de uma condição de ansiedade que o deixa praticamente incapaz de se comunicar ou expressar seus sentimentos. Mas, quando encontrou a gata Jessi algo extraordinário aconteceu e o garoto… falou "eu te amo" pela primeira vez.

Segundo o site inglês The Sun, a família de Lorcan, que vive em Davyhulme, Manchester, no noroeste da Inglaterra, se surpreendeu com a rápida ligação que o garoto desenvolveu com o animal levado para casa pela mãe.

“Eles se tornaram inseparáveis e a gata Jessi fez uma enorme diferença na vida de Lorcan”, disse Jayne Dillon, 44 anos, mãe do garoto. “Nós pegamos o gato há dois anos e neste tempo Lorcan teve um enorme progresso na escola. Nas duas últimas semanas, ele começou a se comunicar com as pessoas que não conhece muito bem e até lê para uma professora – coisa que nunca tinha feito até então”.

O vínculo do menino com a gata é tão comovente que ele é capaz de demonstrar afeição física ao bichinho, coisa que ele não gosta de fazer com as pessoas, inclusive com a mãe. “Ela é uma gata deliciosa e ágil, ele a beija e a abraça o tempo todo”, conta Jayne.

A mãe acredita que a afeição pelo animal é uma maneira de fazer com que Lorcan evolua e expresse suas emoções de outra forma, já que ele não consegue espontaneamente. Evolução essa graças a gata Jessi!

Fonte:

http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/article4436602.ece

Categories: Gatos | Deixe um comentário

O gato como ele é

gato-espiando-olhando-escondido-petrede

Um maravilhoso documentário do Projeto Nina Rosa, apresentado por ninguém menos que Miguel Falabella, falando sobre o fantástico mundo felino. Se você gosta de gatos, tem que assistir, se você não gosta de gatos, tem que assistir mais ainda!

Veja a descrição do vídeo segundo o Projeto Nina Rosa: “Se você nunca conviveu com um gato e quer saber o que está perdendo, O Gato Como Ele É pode lhe dizer. Através de depoimentos de veterinários, psicólogos ou simplesmente felizes companheiros desses pequenos felinos, você vai saber um pouco mais sobre sua história, suas características e temperamento. E quem sabe, depois de compreender melhor os gatos, você já poderá ser adotado por um…”

Para saber mais, por favor, visite www.institutoninarosa.org.br

Imagem: Ilustração/Divulgação/Reprodução
You are subscribed to email updates fonte PetRede
http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede/o-gato-como-ele-e/
Categories: Gatos | Deixe um comentário

Ex-viciado vira celebridade ao largar drogas para cuidar de um gato

Em Londres, James conta que agora Bob, o bicho, só come ração de primeira. A refeição custa o equivalente a R$ 400 por mês.

MARCOS LOSEKANN

Londres

A história de um morador de rua deLondres, na Inglaterra, é diferente. Tem a ver com o sofrimento das drogas e com a importância de uma amizade.

Um miado salvou duas vidas. A do próprio gato e a do rapaz que encontrou o bicho, machucado, miando de dor no centro de Londres. O gato é Bob, o rapaz é James. Um músico de rua que por 10 anos foi viciado em heroína.

Bob era o parceiro que faltava para James. O gato deu à vida do músico um novo sentido. Para cuidar do bicho, ele decidiu largar as drogas. A dupla passou a fazer o maior sucesso com o público. Só faltava um livro: ‘Um gato de rua chamado Bob’ se transformou no maior fenômeno editorial na Grã-Bretanha. Já foi traduzido para 16 idiomas, inclusive português.

Agora, o gato e o dono mal conseguem trabalhar por causa da fama. James é obrigado a parar de cantar a todo instante para tirar fotos e vender o livro, que vem autografado pelo autor e também por seu principal personagem.

“Ele me dá amor, não exige nada em troca além de amor também. Acho que qualquer bichinho de estimação pode fazer esse papel. Bob teve o mérito de me devolver o senso de responsabilidade”, relata James.

James conta que agora Bob só come ração de primeira. A refeição custa o equivalente a R$ 400 por mês. Apenas um quinto do que James gastava com drogas até cinco anos atrás.

2033103.jpg

“Estou limpo. Reatei relações com meus pais e irmãos e tenho amigos de novo”, comemora James.

Mas nenhum mais próximo do que Bob. O gato que continua nas ruas, só que agora, bem acompanhado.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/07/ex-viciado-vira-celebridade-ao-largar-crack-para-cuidar-de-gato-em-londres.html

Categories: Gatos | Deixe um comentário

Os gatos conquistaram a sociedade superando as crendices

gato olhar petrede Os gatos conquistaram a sociedade superando as crendices

Os gatos sempre foram alvo de muitas crendices: -“Se você ver um gato preto numa sexta-feira 13 é melhor fazer o sinal da cruz para evitar má sorte”. “Cruzar com gato preto na rua dá azar”. ”Quem pisa no rabo de um gato não casa no ano, só nos anos seguintes”.

A superstição teve origem na Idade Média, quando se acreditava que estes felinos, devido a seushábitos noturnos, se tornaram amigos inseparáveis da mística figura da feiticeira, surgindo a lenda que eles possuiam sete vidas.

Apesar dos esforços empregado para acabar com eles, dificilmente diminuíam em número. Isso porque, já naquela época, havia muitos de seus defensores, pessoas que escondiam e criavam gatos secretamente.

No século XV, o papa Inocêncio VIII (1432-1492) chegou a incluir o pequeno animal na lista de perseguidos pela inquisição, campanha assassina da Igreja Católica contra supostas heresias e bruxarias. Assim, os inquisidores afirmavam que só tendo mesmo parte com misticismo e afins, um animal sobreviveria, mesmo sendo tão caçado. Surgindo, assim, o termo que o gato tem sete vidas. Dizem que a escolha do “sete”, é pelo fato deste ser um número cabalístico: o sétimo dia foi o do descanso de Deus após a criação do universo, são sete os pecados capitais, as notas musicais e as cores do arco-íris. Na França, a perseguição aos gatos durou até 1630, quando foi proibida pelo rei Luiz XIII (1601-1643).

Os gatos, na realidade, são dotados de particularidades anatômicas e fisiológicas privilegiadas. É esse senso que permite que esses animais girem rapidamente no ar quando estão caindo de cabeça, reposicionando-se, e fazendo as adaptações necessárias para assegurar a “aterrisagem”

O gato esteve sempre unido à história do homem com um carisma totalmente diferente ao do cão. Sempre foi vítima de inverdades, inclusive que, para pessoas alérgicas, basta um contato com ele para ter péssimos efeitos.

Durante muitos anos foi dito que ter gatos em casa nos primeiros anos de vida aumenta as chances de crianças serem alérgicas, mas um estudo mostra exatamente o contrário, afirma o principal autor do relatório, Dennis Ownby, da Faculdade de medicina de Geórgia, em Augusta. Altos níveis de alergênios de gato em casa reduzem o risco de asma ao mudar a resposta imunológica aos felinos. Quanto mais uma pessoa se expõe a alergênios, como partículas de pó ou pólen, mais desenvolverá anticorpos e maior probabilidade terá de sofrer alergias ou contrair asma.

De acordo com um estudo publicado na revista Pediatrics, sobre a população dos Estados Unidos, mais de 500 mil crianças com menos de 6 anos de idade não teriam a doença se os fatores de risco domésticos fossem eliminados.

Os pesquisadores analisaram 400 crianças durante sete anos e descobriram que aquelas que estiveram expostas a dois ou mais animais de estimação tiveram a metade das chances de se tornarem alérgicas.

Reações alérgicas são causadas quando um anticorpo chamado imunoglobulina-E se associa a uma célula sanguínea chamada célula-mestre. Ao se ligar ao anticorpo, a célula-mestre libera substâncias químicas que causam as inflamações.

Há pelo menos mais quatro estudos recentes sugerindo que o convívio nos primeiros anos de vida com cães e gatos possa permitir que o corpo construa defesas contra os agentes capazes de produzir alergia

Segundo o cientista, Dennis Ownby, a saliva, as fezes e a urina dos cães e gatos transferem muitas bactérias do tipo gram-negativo e isso pode mudar a forma como o sistema imunológico da criança reage a essas bactérias, ajudando a protegê-la contra as alergias.

Para Ownby, os resultados do estudo estão de acordo com o que os médicos chamam de “hipótese da higiene”. A tese é que o sistema imunológico de pessoas que crescem em um ambiente limpo demais, sem contaminantes ambientais, pode reagir em excesso quando se depara com substâncias que provocam alergia.

Os pesquisadores da Universidade da Virgínia são otimistas sobre as descobertas do estudo porque consideram que permitirão entender melhor a relação entre a asma e a exposição aos alergênios, o que, por sua vez, poderá colaborar no desenvolvimento de novos tratamentos dessa enfermidade.

O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking de países com maior prevalência de doenças alérgicas, perdendo para o Reino Unido, a Austrália, a Nova Zelândia e os EUA. Uma das hipóteses para explicar esse aumento seria a do excesso de higiene.

Segundo Luisa Karla de Paula Arruda, professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, é preciso analisar a pesquisa. Ela diz que ainda não é possível afirmar se o efeito protetor das alergias é realmente originado das endotoxinas encontradas nos animais. O animal pode, em tese, proteger a maioria dos indivíduos, mas não posso dizer que isso vá acontecer para o indivíduo A ou B. Na maioria dos casos, é provável que a exposição tenha efeito protetor, mas essa proteção não é de 100%. Uma parte pode se sensibilizar.

Para a pediatra Maria Regina Guillaumon, desde que não interfira no desenvolvimento e no crescimento das crianças, a presença de um animal de estimação é benéfica. Segundo o veterinário Renato Miracca, 36, o estudo deve provocar muitos questionamentos. “Às vezes o animal é retirado sumariamente de casa, mas a reação alérgica pode estar sendo causada por outros fatores, como o cigarro e a poeira do ambiente”, orienta.

Durante a gestação, muitas proprietárias de gatos ficam com dúvidas sobre a segurança no convívio com esses animais. Embora a transmissão da toxoplasmose seja atribuída ao gato ela é transmitida mais frequentemente por outros meios. Cuidados simples permitem a convivência entre gatos e gestantes sem prejuízos.

Existe ainda o mito de que a toxoplasmose é a “doença do gato”, e esse pensamento equivocado é comum mesmo entre muitos médicos.

Os gatos podem transmitir a doença, mas para isso ocorrer eles devem estar infectados. Isso ocorre ao comer roedores, passarinhos e outros animais contaminados. O parasita então é passado nas fezes do gato na forma de oocisto, que é microscópio e pode ser ingerido pelo ser humano em algumas situações:

– Após limpar a caixa de fezes do gato;

– Comer alguma coisa que entrou em contato com fezes de gato infectado com toxoplasma.

O gato que fica dentro de casa, sem o hábito de caçar, raramente poderá estar infectado com a toxoplasmose. Um exame simples de sangue no felino é suficiente para eliminar as dúvidas.

Algumas dicas para evitar a contaminação:

– Lavar as mãos após o contato com carne crua;

– Lavar pias, tábuas de carne e outros utensílios;

– A carne deve ser cozida para o consumo;

– Lavar bem as frutas e verduras;

– Limpar diariamente a caixa sanitária do gato, pois assim as fezes são removidas antes que os “ovos” possam se tornar contaminantes. As mulheres grávidas devem evitar essa tarefa, ou utilizar luvas e depois lavar bem as mãos;

– Não alimentar os gatos com carne crua, vísceras ou ossos e não permitir que saiam de casa para que evitem o hábito da caça;

– Combater vetores, como insetos, por exemplo.

Quanto a questão da convivência de bebês e gatos especificamente, não há problema algum se algumas regras forem seguidas. Primeiramente, os animais devem estar com a vacinação em dia. Tanto a Polivalente quanto a Anti-rábica.

Não existe uma indicação de raças específicas para convivência com crianças. Existe o bom senso. A raça persa seria a mais indicada por ser quase que de “pelúcia” de tão mansos. Mas também existem outros felinos que podem conviver com crianças, desde que muito bem escolhidos pelos pais desde filhotes.

A companhia de um gato traz muitos benefícios psicológicos, e um deles é aliviar o estresse. Poder cuidar de um animal, ter um gatinho para abraçar faz você se sentir bem, e reduz o nível de estresse, pois influencia positivamente o seu humor.

Imagem: Ilustração/Divulgação/Reprodução
http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede/os-gatos-conquistaram-a-sociedade-superando-as-crendices/
Categories: Gatos | Deixe um comentário

E se pudesse substituir os seus medicamentos por cães e gatos?

NoticiasANIMAIS – MUNDO
22-Jun-2012

Terapia benéfica para a saúde

Por: Redacção / CBA

Os animais, nomeadamente cães e gatos, são benéficos tanto para crianças como para adultos, uma vez que auxiliam na recuperação física e/ou psicológica, segundo a abc, nesta sexta-feira.

Muitos hospitais no Texas, Estados Unidos, têm já programas de terapia com animais, todos eles treinados, para que os pacientes possam recuperar o sorriso, o conforto e o humor, diminuindo, assim, a ansiedade e as depressões.

Alguns hospitais foram mais longe e permitiram a presença dos animais de estimação dos próprios pacientes.

«Quando percebemos que há um paciente que vai ficar aqui durante um tempo significativo, é importante para eles terem toda a família por perto», afirmou Jamie Snow, diretor-adjunto no Texas Hospital. «Algumas pessoas consideram que os animais de estimação são um membro da família», acrescentou.

«Nunca aconteceu nada de grave por causa de uma visita de um animal», esclareceu Tricia Lewis, diretora de enfermagem, que trabalhou com PAWS [PATAS], organização pioneira desta ideia. «Não há mordidas nem infeções», garantiu.

Categories: Gatos | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.